quarta-feira, 30 de junho de 2010

VALORES E DISSABORES.

Diz a verdade?

Você aceita casar com fulano ou fulana na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza até que a morte os separe?

PENSE MUITO BEM ANTES DE DECIDIR, POIS VOCÊ PODERÁ SEM PERCEBER MENTIR!!!

Não estranhe tais palavras, mas vamos refletir, se o seu parceiro (a) ficar pobre você continuará com ele? Se ficar doente você ficará com ele? E se ficar triste depressivo? Você continuaria com ele?

Hoje em dia por mais que as pessoas digam que o mais importante é o AMOR, no fundo, bem no fundo não é.

Numa relação de sucesso nos dias atuais o que mais conta são as questões racionais e materias e não a emocional e nem a espiritual.

O que se busca hoje numa relação é o conforto e a segurança, os valores atuais mudaram muito, e poucas pessoas tem liberdade para descreverem esse fato e o aceitarem, os românticos a moda antiga, o próprio nome já diz, é coisa antiga, não existe mais.

Esse conforto, essa segurança é totalmente baseada em questões materiais o amor que é basicamente uma questão de alma não conta tanto numa relação atualmente, só de amor a relação não vive mais.

EU TE AMO?

Não

Eu apenas estou seguro com você por enquanto, só enquanto existir uma situação provedora, onde um consegue dar suporte ao outro assim sendo a relação durará, caso contrário esqueça.

Não, não sou materialista, sou REALISTA.

Os casamentos duram menos, as relações são mais instáveis, e a união se tornou apenas uma coisa mais cômoda sem a questão civil tão levada a sério e a união religiosa não pesa tanto quanto antes.

O respeito corporal não é nada, ora sexo se faz a toda hora, tornando-se uma coisa banal, meramente carnal, tesão pelo tesão, cadê o AMOR?

Fidelidade, cumplicidade pra quê?

Trair é tão bom, não é? Cada dia uma balada, cada balada um parceiro diferente, uma boca diferente, uma cama diferente.
LIBERDADE SEXUAL! Ah pára com isso, o nome disso é LIBERTINAGEM, não usarei outra palavra para não ser tão ofensivo, e não pense que o texto inteiro é para um sexo ou outro, não, não há exclusividade, tudo que digo aqui é para ambos, os direitos são iguais não é mesmo?

Na riqueza, na saúde e alegria, nestes casos a relação sobrevive, pois problemas não existem aí a relação dura.

Pobreza, doença, tristeza? Loucura a relação não dura. (Parece até poesia)

Enfim reflitam e pensem se a resposta será verdadeira, para defender esta pequena dissertação basta assistirem a nova propaganda do automóvel HONDA CITY, onde o rapaz prefere a bicicleta no lugar de uma família e filhos, esta é a maior prova dos valores dos novos tempos, TRISTES TEMPOS ESTES NÃO?

Assim termino e deixo a você caro leitor (a) a incumbência de mudar ou não os seus valores.

Até a próxima.