sexta-feira, 30 de novembro de 2012

FRAGMENTOS

 

ESSE TEXTO É FORMADO POR FRAGMENTOS DE POSTAGENS ESCRITAS POR MIM NO FACEBOOK, EU OS COLOQUEI COMO UM TEXTO INTEIRO, ESPERO QUE GOSTEM...

O AMOR numa relação deve ser sentido, vivido por ambos, não há motivo para ficar numa relação quando um só ama e o outro não, AMOR  não pode ser tratado como uma simples conveniência. Quem assim o faz, mente para si e para o outro, AMOR é o sentimento mais nobre de todos, onde tudo começa e é eternizado, não pode ser forçado, nunca.

AMAR É SUBLIMAR A ALMA.

Muitas vezes é melhor estar só do que com alguém por mera conveniência, a solidão ensina e nem sempre é sofrível, a LUA está só, mas sempre cercada por estrelas a iluminar e mesmo só ela consegue produzir sonhos e acalentar corações com suas inspirações.

Hoje em dia , tudo é muito rápido, não há tempo para pensar, sentir, expressar, confunde-se AMOR com sexo, um é ALMA, outro é CORPO, é preciso fazer com que ambos andem e vivam sempre juntos, a entrega do CORPO COM A ALMA, nada mais é que subir aos CÉUS, SUBLIMAR TERNAMENTE, e neste encontro perceber nas sutilezas dos olhares, dos gestos o quão fantástico é cada momento de nossa vida.

AMAR COM ALMA, AMAR SINCERAMENTE, SEM BANALIDADES, APENAS AMAR, SEM MEDO OU RECEIO, MAS NUMA TROCA CONSTANTE, SEM OBRIGAÇÃO, APENAS DOAÇÃO E PERCEBENDO QUE NEM SEMPRE AS COISAS SÃO COMO QUEREMOS, MAS SEMPRE COM UMA RAZÃO DE SER NAQUELE INFINITO E MÁGICO INSTANTE...

Eu ainda quero poder dormir e despertar para um novo dia com a mulher amada e ao acordar , olhar profundamente nos olhos dela e dizer EU TE AMO, VOCÊ É A MULHER MAIS IMPORTANTE DA MINHA VIDA, espero que um dia isso ocorra, não desisti ainda de AMAR E DAR AMOR...

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

ALGO SOBRE MIM…

 

Em todas as redes sociais existe aquele espaço que remete-se a falar sobre você mesmo, seu perfil, suas características e coisas do gênero…

Bem decidi falar aqui um pouco sobre mim.

Então vamos lá.

Sou uma pessoa que cultiva e cativa sorrisos, provavelmente seja esse meu único vicio.

O mais fácil de reconhecer em mim é a maior falha que possuo: PREGUIÇA, mas não uma qualquer, é a preguiça que surge quando não há motivação, eu preciso de uma motivação constantemente.

Aprendi a respeitar as pessoas, ser gentil, educado, mas várias vezes, por causa disso fui mal interpretado e mesmo maltratado. Pago um preço alto por isso e devido a tais fatos me tornei uma pessoa reclusa e medrosa, assumo.

Sofri e tive magoas e são esses sofrimentos e mágoas que me impedem de seguir adiante, espero que um dia eu consiga… hoje estou um pouco fraco e triste, mas nada disso me impede de criar um sorriso, pois sei que muitas pessoas dependem dele e como dizem “ o guerreiro está ferido, mas não está morto” , sim sou um guerreiro, DA PAZ E DO AMOR.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

TEM CERTAS COISAS QUE EU NÃO SEI DIZER...

Nossas mãos estavam entrelaçadas, sentíamos o calor um do outro, sentíamos o amor um do outro, andávamos apaixonadamente pelo mundo, mas o que era esse mundo?
Meu mundo era qualquer lugar, bastava estar com ela, ver seu sorriso, tocar sua pele, meu mundo era ela, é ela, quando se ama como eu a amava, o mundo passa a ser a pessoa amada.
O seu sorriso era tudo que precisava para motivar-me a seguir em frente com os meus sonhos, sonhos esses que só seriam inteiros com a presença dela, pois até ali ela era o mais perfeito sonho se transformando em realidade.
Esperei um longo tempo até poder encontrá-la, mas valeu a espera, poder abraçá-la, sentir o perfume de seu cabelo, o toque suave de sua pele, certas coisas que você só pode dizer ao "pé do ouvido", ela me fazia dizer.
Era chegado o momento mais importante de nossas vidas, aprendermos a aceitar que não dependemos mais de nós, mas sim da outra "metade", a metade que nos completa, a metade que tem a mais clara certeza de nos conhecer mais intimamente, o momento de doarmos aquilo que de mais precioso temos em nossa alma, o AMOR.
Eu não sabia mais como fazer, como proceder, tudo era novo pra mim, uma nova sensação, uma nova energia, um novo AMOR, há muito esperado e desejado, mas neste caso definitivo, um AMOR maduro, um sentimento sincero, íntegro, completo...
Só quem ama entenderia, um AMOR que mesmo dizendo não, você na verdade diz sim, mesmo que anoiteça, você sabe que o amanhecer valerá a pena, mesmo que chore saberá que essas lágrimas serão recompensadas com o beijo da alegria, mesmo que o coração adoeça, surge um amor que cura que acalenta...
Um AMOR que não permite sentimentos de ódio, de dúvidas, de tristezas, um AMOR  que por si só se mantem e se sustenta.
TEM CERTAS COISAS QUE EU NÃO SEI DIZER




Nossas mãos entrelaçadas, acompanhavam o sincronismo de nossos corpos entregues ao mais puro momento de doação, de corpo e alma, o mais puro momento íntimo de AMOR, a energia, a força, as emoções, tudo era mágico, não eram necessárias palavras, nossos olhos se comunicavam em uníssono, nossos corpos sabiam bem o que fazer e como, não dava para explicar...
Era necessário apenas viver aquele momento...
Nossos olhos estavam brilhando, nossos corpos transpiravam gotas de AMOR, e nossas mãos sempre entrelaçadas, elas sensíveis e tão importantes em nossa história, começamos a nos comunicar , depois nos tocar, abraçar e sentir, com a magia da sensibilidade de nossas mãos...
Naquele momento não éramos apenas pessoas maduras, mas jovens desfrutando a liberdade que só o AMOR pode proporcionar, estávamos livres de todo pudor, de todo preconceito, ali apenas dois corpos se amando, se doando, se libertando, ali, exatamente ao luar, nada mais importava, apenas o nosso AMOR...
Eu a amei intensamente e sentia o mesmo, não tinha como ser diferente...
Todos os momentos assim vividos até hoje são mágicos, inexplicáveis, inenarráveis...
Tudo ao mesmo instante, todas as sensações, todas as emoções, todo AMOR, sempre ele o AMOR...
TEM CERTAS COISAS QUE EU NÃO SEI DIZER... E DIGO

segunda-feira, 18 de junho de 2012

POR TODA MINHA VIDA


Meu corpo tremia e nem sabia o motivo, minhas mãos estavam tremulas como nunca estiveram, minha mente não conseguia concentrar em nada, o que estava acontecendo?
A dificuldade em pensar em alguma coisa era terrível, sentia meus batimentos como nunca havia sentido antes, meu corpo estava paralisado.
E agora o que eu ia fazer, o que seria de mim?
As sensações eram as piores possíveis, eu não estava morto, eu não estava vivo, eu simplesmente não estava, as expectativas não eram nada boas.
Eu sabia como havia chegado nesta situação, a culpa se é que existia era minha, só minha, de mais ninguém, esses eram meus valores, meu jeito de ser, " ação e reação", "causa e efeito",a verdade é que não conseguia me adaptar a esse"mundo" onde a verdade não impera, apenas a conveniência que importa, mas sou o que sou, não mudo por que o mundo quer, sou " a moda antiga" , está certo , assumo, me prejudico por causa disso, mas durmo com a cabeça tranquila, pois não vou contra meus valores.Não me vendo, não piso na cabeça de outros para subir ou conseguir algo que para outros seria impossível.
Eu esperei muito pra chegar até aqui, demorou, minha vida mudou, fiquei mais maduro, parei de dar importância a coisas desnecessárias, parei de me importar em que as pessoas poderiam pensar ou achar sobre essas ou outras atitudes.
A idade nos dá essa LIBERDADE.
Mas agora, era o único momento que não adiantava em nada a maturidade da idade, a despreocupação em não estar adaptado a esse mundo novo, nada mais ajudava, eu estava petrificado.
A maturidade do tempo nos faz pensar mais antes de tomarmos qualquer atitude, pode ser prudência ou precaução excessiva,não sei, mas é natural, uma espécie de auto-defesa.
Queria e precisava resolver essa situação de qualquer jeito, rápido e de forma objetiva.
Pensei, tentei pensar muito, mas não conseguia sequer raciocinar direito, as ideias não convergiam em nada, era uma dispersão enlouquecedora, tudo estava desmoronando, estava sem saída, essa era a realidade do momento.
As horas passavam e eu esperava que alguma coisa ocorresse naturalmente, já que eu não podia fazer mais nada, o estranho de tudo isso , era que meu íntimo não estava tão atordoado quanto minha mente e meu corpo, parecia que meu espírito esperava por aquela situação, era um conflito interno, corpo versus espírito, se é que tal conflito é possível, mas minha alma estava calma, assustadoramente tranquila, serena, como se as sensações corpóreas fossem mera bobagem.
Minha mente começava a criar imagens, cenas surgiam do nada, cenas do passado nunca vividos, outras existências talvez, outras vidas, só essa poderia ser a explicação.Outra vida!
Aquelas cenas mesmo não vividas eram muito reais,pareciam parte de mim, cheguei a entender o motivo de estar atordoado, neutralizado, meu espírito precisava daquela situação, para assim trazer a tona tais lembranças de outra vida, entendia agora o porque da calma intima.
Estava ali parado, travado, neutralizado, o estresse era extremo, o cansaço era tamanho que meus olhos fecharam, o medo existente sumiu, não sentia mais nada além do cansaço.
De repente senti uma luminosidade em minha direção, o brilho era tanto que não conseguia ver o que era, estava atordoado, e cada vez mais aquela luz vinha em minha direção, meus olhos fechados, mas tinha a percepção plena da luz chegando mais perto, quanto mais perto mais travado eu ficava.
A luz não podia ser mais forte do que já era, reparei que ela parou em minha frente, senti então um toque sutil em minha face e como uma brisa escutei uma voz, era ela o motivo da minha estagnação momentânea. A razão de todas aquelas sensações inexplicáveis.
Meu coração parecia parar de bater, congelei, mas gradativamente me acostumei com a luz e consegui abrir meus olhos e de imediato meu corpo respondeu àquela sensação que irradiava de meu espírito , a calma,  tudo voltava ao normal.
As cenas do passado começavam a se encaixar com as sensações do presente, a explicação era simples, estava defrente a mulher de minha vida, a alma que me completava e me aceitava como era, conservador, antiquado, repleto de defeitos , mas uma alma pura em meus valores.
A mulher da minha vida , de todas as vidas, a que se fazia presente em todas as cenas do passado, conseguíamos ali concluir uma missão que há séculos tentávamos e que não obtínhamos exito.
Eu estava livre, meu corpo havia se libertado das correntes do medo e foi em direção da luz, da luz da mulher da minha vida, que com seu olhar mágico, seu sorriso deslumbrante e seu abraço confortador me acolheu, me amou, me ama e decidia naquele instante, naquele altar, dizer sim.
Sim, EU TE AMO.
A luz de minha alma passou a brilhar em uníssono com a dela e juntos concluiríamos nossa missão, de amarmos um ao outro de forma plena, sublime e esplendorosa, a entrega que só o amor sabe e compreende.
Sim, eu a amei, amarei e ao lado dela estarei.
Sim , EU TE AMO.
Por toda minha vida.

domingo, 17 de junho de 2012

BEL PRAZER

 

Estava pensando sobre os sentimentos, não sabia bem o que escrever, como e nem o motivo de escrever, penso muito nos sentimentos...

As pessoas se machucam muito facilmente, e creio que uma das razões é o pensamento, as pessoas sempre tentam interpretar aquilo que dizemos, aí sim está uma falha terrível, pois quando queremos interpretar partimos para aquilo que é melhor ou pior para nós.

Não seria melhor nos apegarmos apenas ao que foi dito? Ora se “sim” sim e se “não” não e ponto final.
Mas ocorre justamente o contrário, queremos entender o motivo do sim ou do não, não conseguimos nos ater apenas na resposta.

Temos de fato que interpretar sempre aquilo que escutamos?

Não!

Ora cada um entende como achar melhor e ponto, agora não culpe o outro pela resposta que você interpretou a seu bel prazer, pois geralmente é o que acontece.

Quantos são os conflitos gerados devido a uma “interpretação errada”, quantos são os amores desfeitos, os projetos, planos, momentos, enfim...

O ser humano não é um livro para ser interpretado, ele precisa ser apenas sentido, nada mais.
Então sinta a pessoa, olhe-a nos olhos, sinta seu toque, emocione-se com suas lagrimas, compartilhe seus sorrisos, mas em momento algum interprete, não somos um texto dissertativo com suas regras em que no mínimo há quatro parágrafos , onde o último é a conclusão.

Quando alguém disser “ eu te amo”, não tente procurar o motivo, apenas se permita sentir-se amada.
São tantos os momentos perdidos, são tantos os momentos iludidos, são tantos momentos de tormenta por causa de uma vã e destoada interpretação de palavras e sentimentos. Onde o mais importante não é considerado, a palavra que foi dita e nada mais.

Não interprete ninguém, pois da mesma forma que você interpreta, muitas vezes erroneamente, alguém poderá interpretar você da mesma forma.

Sinta apenas.

Apenas sinta.

Sinta.

Apenas.

Percebemos com o tempo que sentir é sinônimo de viver e viver é sinônimo de amar, e amar é tudo que mais precisamos e queremos.

Seja assim, aja assim, ao seu , ao teu, ao nosso bel prazer.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

RECONCILIAÇÃO

 

Ando a te procurar sem te encontrar, como guia tenho meu amor, mas parece não ser suficiente, talvez eu mereça, lhe fiz sofrer sem que você merecesse, agora estou eu aqui feito um moribundo a suplicar outra chance aos céus porque você sempre foi um anjo em minha vida, o anjo do amor. Meus erros foram grandes e fui incapaz de enxerga-los.
Mas chega de ficar sem você, sem a tua presença não sou nada, sou um louco que anda por aí sem rumo, não conseguirei viver sem teu amor, gostaria que você soubesse o que acontece comigo, que escutasse esse meu clamor.
Sinto tanto tua falta, teu sorriso era a luz da minha vida, o seu perfume exaltava sua presença e está impregnado em minha alma e em todos os lugares aonde vou. Meus olhos trabalham hoje obedecendo meu coração, que vive à sua procura. Mas não a encontro!
Eu sei que errei, confesso que eu precisava te escutar mais, lhe dar mais atenção e acima de tudo, confiar mais em você, e isso eu não fiz.
Desculpa, é , eu sei, talvez agora seja tarde demais pra isso, devia ter pedido antes que tudo isso tivesse ocorrido, quem sabe assim eu tivesse evitado toda essa dor que sinto agora.
Será que todo esse tempo sem teu amor já não é suficiente, não aguento mais sua ausência, a ausência de seu toque, do seu jeito de me olhar, do teu colo tão aconchegante, da sua presença em minha vida.
Eu te amo tanto, tanto, que nem tenho palavras para explicar.
Quantas vezes adormeci em teu colo, era como estar no paraíso, tamanha a paz que sentia, era a proteção mais pura e doce que eu podia querer em volta de mim.
Gostaria que você soubesse do meu arrependimento, do quanto eu sofri e sofro sem você.
Não devia ter dado ouvido as pessoas, só diziam bobagens a seu respeito, tantas farsas, tantas mentiras, e o pior, o meu ciúme cego e doentio, fizeram com que eu não percebesse a verdade.
E eu que vivia com você não acreditei em suas palavras, no seu amor, quanta estupidez da minha parte duvidar do amor de um anjo.
A verdade é que eu devia ter ficado do seu lado, mas não, preferi dar atenção as pessoas, quanta ingenuidade.
Eu já sofri tanto antes por causa do amor, fui tão humilhado, que quando você apareceu na minha vida, não acreditei ser possível, ser real que alguém pudesse me amar como você me amou, me julguei não ser merecedor de um amor como esse, de uma pessoa tão bela quanto você.
Você realmente é um anjo, porque alguém como você não pode ser chamado de humano. E eu acho que te perdi.
Nos seus olhos angelicais, eu me via perfeito, você me fazia perfeito, o melhor homem do mundo.
Não quero te perder, não posso, se eu te perder, perderei também a única razão para viver.
Nosso relacionamento era maravilhoso, nunca brigávamos, o seu amor, a sua serenidade sempre falou mais alto. E eu te deixei sem nenhuma explicação, sem dizer nada, apenas fui embora.
Como fui burro, deixei a mulher da minha vida escapar, se você soubesse como o seu sorriso me faz falta, ele me fascinava, como tudo em você me fascina, me dava forças para seguir em frente.
Agora me sinto um fraco, é assim que estou.
Ainda hoje me pego olhando para o horizonte, do mesmo ponto onde nós ficávamos juntos passando o tempo nos amando, para adquirir forças através das lembranças que o local me proporciona, mas você não está comigo e sem você a paisagem não é a mesma e nem tem o mesmo encanto, sem você nada tem graça, nem faz sentido e a força que recebo não é igual.
Você foi e é o sonho que se tornou real. Quando eu iria imaginar que um anjo me amaria? Sempre a terei em meu coração.
Hoje me sinto incompleto. Onde você está?
Eu preciso de você, ficar sem você é como não ter ar para respirar é a vida sem essência, volta pra mim por favor.
Queria tê-la aqui ao meu lado porque “... teu amor me cura de uma loucura qualquer, encostar no teu peito e lhe dizer a qualquer momento por mim tudo bem...”
Te amo meu amor, sempre a amarei, sempre...

quinta-feira, 24 de maio de 2012

AS QUATRO NOBRES VERDADES


As quatro nobres verdades. A felicidade Budista
A Iluminação vem de Buda
Dalai Lama

Os iluminados de escolas budistas ou não citam que existe a felicidade, mas também o sofrimento, pois não se pode negá-lo.   Ter contentamento e felicidade é não se surpreender com momentos de sofrimento.
No budismo, há o conceito das Quatro Nobres Verdades, que são instrumentos para reconhecermos a felicidade. Esse método que você aprende agora é seguido por milhares de praticantes, budistas ou seguidores de outras crenças.





"Grande parte do sofrimento é criada por nós mesmos".
1ª nobre verdade: o sofrimento existe para todos.
Em maior ou menor proporção, sofremos com mágoas, morte física, perdas, tristeza — há infelicidades na vida. Não negue isso, mas fique alerta com seu sofrimento. Mestres e meditadores encaram com muita consciência os momentos de dor. E o homem moderno cria toda espécie de fuga contra as origens da dor: álcool, cigarro e drogas variadas. São João da Cruz, que passou por momentos de muita dor, escreveu Noites escuras, um clássico meditativo. Ele nos diz que a solidão nesses momentos pode nos tornar conscientes e nos ajuda a ultrapassar algumas situações.
Uma amiga sempre se queixava que em sua vida as situações de dor se repetiam. Dizia ela: "Eu já passei por isso". Passou, mas não ultrapassou, não foi a fundo, não se desapegou.
É necessário entrar em contato com o sofrimento, e não fugir dele.A vida não é só felicidade. Sucesso não é ser feliz. Sucesso é ser você.
Suzuki, o mestre zen, escreveu: "Toda dor vem do desejo de não sentirmos dor".
2ª nobre verdade: descobrir as raízes do sofrimento, as causas da dor. Algumas dicas sobre as causas: apego, julgamento, inconsciência, descontentamento. Medite agora sobre o que causa sofrimento em sua vida.

3ª nobre verdade: interromper o sofrimento.
Evite pensamentos e atitudes que geram sofrimento.
Se o álcool é sofrimento, eu descubro por que bebo e transformo esse hábito.
Se o cigarro é sofrimento, eu descubro por que fumo e transformo esse hábito.
Se o jogo é sofrimento, eu descubro por que jogo e transformo esse hábito.
4ª nobre verdade: seguir o caminho para eliminar o sofrimento.
São oito passos ensinados ao mundo pelo iluminado Sidarta Gautama, o Buda histórico.
Esse caminho é chamado de Caminho Óctuplo por dividir-se em oito partes.
Vamos a elas:
1ª parte: o caminho da compreensão dos fatos. Ter consciência.
Buda dizia que este mundo é saha — ou seja, impossível de apegar-se, pois nada é permanente.
Olhe o mundo sem ilusões ou distorções. Enxergue a verdadeira natureza de todas as coisas por detrás das ilusões. A verdade do que existe, e não de suas expectativas.
Conheça suas raízes de luz e de sombra e seja consciente delas.
2ª parte: o caminho do pensamento e da intenção correta. Falar mentalmente com benevolência. É o falar com a mente, é a necessidade de a usarmos sem egoísmo. Trata-se do contentamento e das expectativas honestas no pensar em si e pensar nos outros.
A Dhammapada, um texto sagrado do budismo que reflete as palavras de Buda,   inspirador para entendermos a intenção correta:
"O pensamento se manifesta como uma palavra na mente, A palavra se transforma em uma ação, A ação se transforma num hábito, E o hábito se cristaliza como temperamento".
Portanto, fique consciente de seus pensamentos e dos resultados deles. E faça com que brotem na compaixão e no respeito para com todos os seres. Da mesma forma que a sombra segue o corpo, nós nos tornaremos aquilo que pensamos.
Há uma prática do budismo chamada tonglen, que consiste, dentre outras coisas, em aceitar os encargos da vida sem se sentir sobrecarregado, e uma opção para alcançar esse objetivo é perdoar os outros e a si mesmo, abandonar a autopiedade, a culpa e a vergonha de ser você. No Tao te king, de Lao Tse, está escrito:
"Quando você aceita a si mesmo, o mundo inteiro o aceita".

3ª parte: o caminho da atenção ao presente. Ter atenção plena. Esse caminho consiste em usar nossa energia para o momento presente, pois é aqui e agora que podemos de fato Ser.
Dicas:
·  Tenha atenção sempre e, o mais possível, consciência do presente.
·  Conte suas respirações e feche os olhos nos momentos de inconsciência, para voltar ao presente.
·  Preste atenção ao andar, ao mastigar, ao ouvir uma música, ao olhar sem julgar, ao namorar, ao dançar, enfim, em todos os atos. Não tente parar de pensar. Aliás, quem tentaria?
Isso já é um Koan: Quem tentaria parar de pensar?
Observe os pensamentos sem se identificar com os mesmos.

4ª parte: o caminho da fala correta. Ter atenção com as palavras.
Evitar palavras violentas, agressivas, perversas. Use as palavras para ajudar, e não para ferir.
"Melhor do que uma história sem sentido que tem mil palavras é uma única palavra com significado profundo que, ao ser ouvida, produz a paz”.
Buda
Muitos fazem orações pedindo só para si. Já assisti em missas na TV pessoas pedindo emprego só para elas, esquecendo, às vezes, milhões que nem comida têm.
A fala correta pode ser praticada com essa oração chamada Meha, na qual mentalizamos por todos os seres. É uma mentalização sem egoísmo. 
"Que todos os seres possam ser felizes, contentes e realizados.
Que todos os seres possam se sentir saudáveis e equilibrados.
Que todos possam ter aquilo que querem e precisam.
Que todos estejam protegidos contra o mal e livres do medo.
Que todos os seres tenham paz interior e bem-estar.
Que todos estejam despertos, liberados, independentes e não tenham
limitações.
Que haja paz neste mundo e em todo o universo."
Ao final dessa oração agradeça por todas as bênçãos que o planeta
tem, a existência nos oferece.
Exercício da Palavra Correta
Essa técnica faz parte de mosteiros budistas no Japão. Durante um dia todo se utiliza da palavra correta.

Lembre-se de já ao acordar pensar: "Hoje será o dia das palavras gentis e amorosas"

·  Durante todo dia mesmo se houver irritação, mantenha suas palavras suaves;
·  Observe seu tom de voz, fale com paciência, bondade e delicadeza;
·  Fale a verdade, não fofoque;
·  Diga às pessoas que se importam com elas (e se importe realmente)
·  Não fale em excesso.

5ª parte: o caminho da ação correta. Não prejudicar ninguém, preservar e "acariciar" a vida e não matar.
Eis aqui o treinamento da generosidade, que estudaremos com mais detalhes no item "Quem dá é quem deve agradecer". A ação correta também é o estudo sobre "O caminho do meio", filosofia tão ensinada por várias escolas de iluminação, como a taoísta, a budista e a hinduísta. Os Lamas ensinam que os antagonismos no mundo ou em nossa vida seriam resolvidos se ambos os lados cedessem um pouco, não se deixando dominar pelos extremos.
Por exemplo:
·  alimentação: nem pouco nem muito;
·  trabalho: nem pouco nem muito;
·  esportes: nem pouco nem muito;
·  dormir: nem pouco nem muito;
·  diversões: nem pouco nem muito.
Enfim, em todos os aspectos da vida, sempre o caminho do meio.

6ª parte: o caminho ao trabalho correto.Ecologia e Ética profissional
Trata-se de trabalho ético, ecológico, útil a você e a todos os seres vivos do planeta Terra. É um trabalho do bem, em vez de ficar a vida toda só pensando em como ganhar, gastar, economizar, ganhar, gastar, economizar... ad infinitum.
Dentro do budismo, há o conceito dos oito ventos mundanos, ou influências, que podem criar tristeza pessoal ou mundial. Segundo esse ensinamento, todas as nossas intenções são regidas por essas influências e assim podemos perceber se nossas motivações são reais ou mundanas. Os oito ventos mundanos são quatro pares de polaridades de desejo/aversão a seguir descritos:
·  prazer / dor (a si e aos outros);
·  ganho / perda (a si e aos outros);
·  elogio / crítica (a si e aos outros);
·  fama / vergonha (a si e aos outros).

Toda vez que temos apego e preocupação exagerada com o prazer, o ganho, o elogio e a fama geramos como desequilíbrio a reação contrária de dor, perda, crítica e vergonha.
Se observar o mercado de trabalho, você poderá notar como os ventos mundanos sopram em todas as direções, fazendo com que num instante se sinta um vencedor e no outro um derrotado, de acordo com os diferentes níveis de interesse individual e coletivo. Quando é o seu interesse que prevalece sobre o dos demais, você se sente feliz, vencedor. Mas quando é o do outro que prevalece sobre o seu, você se sente triste, enfraquecido e até derrotado. Quando me concentrava para escrever sobre contentamento e felicidade no trabalho, surgiram em mim muitas dúvidas porque sei que no planeta há milhões de desempregados, outros que trabalham somente por moradia e alimento, milhões que trabalham em empresas antiecológicas, insaciáveis na ganância de explorar o próximo ou o planeta, empresas parasitas que só visam o lucro de seus presidentes e diretores e um salário limitado a seus funcionários. A escravidão ainda existe no planeta com outros nomes, na África e Ásia existem ainda hoje 74 milhões de escravos oficiais. O homem passou a trabalhar várias horas ao dia há pouco tempo, algo em torno de 4 mil anos. Antes, coletávamos alimento, executando no máximo duas horas de trabalho diário em média. Hoje, em todo o mundo questiona-se muito o fato de as pessoas trabalharem tanto, 12, 16 horas ao dia ou mais...
Na atual civilização, se você não tiver um trabalho, um sustento, passará por apuros. Quando uma pessoa quer tornar-se monge budista, deve pedir esmolas para aprender a humildade. Isso é muito difícil, as pessoas a quem você recorre solicitando alimentos, roupas ou valores viram o rosto, não abrem as portas dos lares, fecham os vidros do carro etc. Se você não quer passar por isso, case com alguém milionário ou receba alguma herança, ou ganhe na Loto, ou... trabalhe. Trabalho não é uma obrigação. É uma opção. Trabalho não é o único meio de sobrevivência, mas um meio que pode desenvolver algumas capacidades. O trabalho só será monótono se você não for criativo, só será luta para lutadores de boxe ou de artes marciais. Fora isso, ele pode fluir e haverá contentamento. Seja realista, não caia na armadilha de imaginar: "quando meu trabalho for assim..." ou "quando eu for reconhecido...", ou "quando eu ganhar mais...", ou ainda "quando eu criar meu próprio negócio...". Em várias peregrinações que fiz na Ásia encontrei situações de trabalho realmente escravo. Mas será que esse é seu caso? Acreditar que alguém o escraviza e você não pode escapar é uma boa desculpa para não ir atrás de melhores oportunidades, bons salários, novas opções. Você poderá pôr a culpa em seu país, no patrão, na empresa, no destino etc.
Mas lembre-se do poder pessoal. Você coloca poder no que pensa e faz. Se você pensar e trabalhar com queixas, mau humor, falsidade, desmotivação, você encontrará tudo isso na vida. Ao contrário, se pensar e trabalhar nutrindosse de energia, harmonia, boa vontade, leveza, relaxamento, bom humor, vontade de aprender, você estará fazendo bem a si mesmo. Mude também a crença de que quem faz o que gosta não ganha bem. Conheço pessoas frustradas com o que fazem, mas escolheram isso em busca de poder, status, dinheiro a troco de cumprir ordens absurdas e assim passaram a realizar algo que odiavam. Com o tempo essas pessoas se tornam vazias porque só trabalham para ter poder. Não espere que "os outros" valorizem seu trabalho. Você deve se valorizar e apoiar em vez de apenas esperar que caiam do céu elogios e apoio.
Perguntaram ao rabino de Kotzk:
— O mandamento "não roubarás" refere-se a não roubar do semelhante?
— Não só isso — respondeu Kotzk. — Não roubarás de você mesmo. Portanto, que seu trabalho não roube o tempo que deve ser dedicado a outras atividades.
Tempo não é dinheiro. O tempo não passa. Quem passa somos nós, o tempo fica. Tanto que um dos apelidos de Deus no Judaísmo e Cristianismo é Eterno. O tempo é eterno. Já que é você quem passa pela vida, aproveite-a.
Se tem dificuldade em gostar do que faz, aqui vão algumas dicas:
·  Lembre-se de que você não é seu trabalho. Ele, sim, é uma parte de sua vida, não tudo.
·  Respire fundo nos momentos difíceis.
· Medite sempre se seu trabalho ou a empresa onde trabalha são bons para o planeta. Se ela faz algum mal ao próximo, realmente será difícil alcançar a felicidade. Difícil, mas não impossível. Acredite no impossível, e ele se tornará possível.
· Não leve seu trabalho para o lar ou para dentro de você quando ele não estiver indo bem. Lembre-se de que poucos morrem de trabalhar e muitos morrem de estresse, que é causado também por falta de prazer. Muito pior do que o morrer de trabalhar é a morte por depressão. Em 1998 morreram por esgotamento profissional 2 milhões de pessoas, e por depressão, 58 milhões. ·   Seja criativo todos os dias. Criar é prazeroso. Conheço muitas pessoas descontentes profissionalmente que, quando se tornaram criativas, passaram a ser mais contentes. Aqueles que trabalham como máquinas correm o risco de ser substituídos por elas.
·  Segundo Confúcio: "Encontre um trabalho que lhe dê prazer, e você nunca terá que trabalhar" . E Richard Bach preconiza: "Quanto mais eu quero que algo seja realizado, menos eu chamo de trabalho" . Se você puder escolher a profissão dos seus sonhos, escolha. Não ligue só para o dinheiro. Os índios praticamente não têm nada material, mas nem por isso podem ser considerados pobres. Procurar economizar um pouco é uma boa maneira de ter contentamento, pois nos momentos de imprevistos — e imprevistos acontecem — você não se desequilibrará e também para momentos prazerosos que requerem valores. Se precisar, comece tudo de novo. Michelangelo, quando pintava a Capela Sistina, em certo momento não estava contente com seu trabalho e humildemente começou tudo de novo. Na vida sempre há a chance de começar tudo de novo. E de fazer bem feito e com boa vontade. Reflita: o sucesso não é a "alma do negócio". Sua alma é silênciosa e está no ócio. Você não precisa fazer nada para percebê-la.

7ª parte: o caminho do esforço correto.
Muitos são os que só se esforçam para ter posses, poder sobre os outros, dinheiro, carros novos, enfim. Esforço correto, segundo as tradições orientais, é:
1. evitar julgar (tratado no item);
2. evitar hábitos nocivos (cigarro, sedentarismo, inveja e drogas);
3. ter pensamentos iluminados:
- generosos,
- pacientes (a paciência surge com a tolerância),
- sábios (equilibrados, pensando não só em você),
- éticos com os seres vivos;
4. ser autêntico (evitar a comparação);
5. ser gentil e carinhoso
6. saber ouvir os outros com o coração, quando puder e desejar, ajudar.
7. silenciar a mente.
8ª parte: o caminho da concentração correta.
É muito semelhante com o 3ª caminho, sobre a atenção plena. Na prática consiste em focar sua mente, concentrar-se em uma coisa de cada vez, antes de entrar em silêncio. Como reflexão sobre o Caminho Óctuplo, proponho que medite em cada uma das partes estudadas e defina para si mesmo no que elas consistem em sua vida. Trata-se de seus pontos de vista ou pontos de intuição. A Amiga e Monja do Zen Budismo, Coen de Souza escreveu esse texto auspicioso que nos ensina o que a escola japonesa Zen sente sobre o contentamento e a felicidade. "Você me pede a falar sobre o contentamento e vou me lembrando de Buda que exortava seus monges a encontrar esse estado fundamental de saber contentar-se. Buda até completava "contentar-se com pouco" , dizendo que aquele que se contenta com pouco fica feliz mesmo tendo de dormir no chão, enquanto que aquele que não conhece o contentamento pode ter todas as coisas materiais e mesmo espirituais, sem ser capaz de ficar feliz. A este sempre algo falta. No Parinirvana Sutra, o último sermão de Xaquiamuni Buda, ele fala de oito aspectos importantes que os monges e praticantes devem considerar. Mestre Eihei Dogen (1200-1253), fundador da tradição Soto Zen a que pertenço, no Japão, deixou um texto belíssimo baseado no Parinirvana Sutra no qual fala das oito iluminações ou despertares de um grande ser. O primeiro é ter poucos desejos, o segundo é o contentamento, o terceiro é sentir prazer na tranqüilidade, o quarto praticar diligência, o quinto não perder a concentração, o sexto praticar a meditação, o sétimo praticar a sabedoria e o oitavo não se envolver em falar à toa.
Vou reproduzir aqui apenas o texto referente ao contentamento:
"Buda disse: Se vocês monges quiserem se livrar de todas as espécies de sofrimento vocês devem refletir sobre conhecer a satisfação. A prática do contentamento é o próprio local da abundância, felicidade e paz. Aqueles que conhecem o contentamento, mesmo deitados no chão, estão confortáveis e alegres. Aqueles que não conseguem ficar satisfeitos, mesmo morando em um palácio celestial ainda não estão bem. Aqueles que não conhecem o contentamento, mesmo sendo ricos são pobres. Aqueles que conhecem o contentamento mesmo sendo pobres são ricos. Aqueles que não conseguem ficar satisfeitos são constantemente puxados e empurrados pelos cinco desejos. Os que conhecem o contentamento se apiedam daqueles que não o conhecem. Isto é chamado saber estar satisfeito".
Isto o satisfaz? É suficiente? Traz contentamento"?
Mãos em prece
Monja Coen
Reflexão:
·  E agora faça a sua reflexão sobre cada uma das partes do caminho
sagrado do budismo.
O que é para você:
·  Compreensão correta:
·  Pensamento e intenções corretas:
·  Atenção (ao presente) correta:
·  Palavras corretas:
·  Ações corretas e o caminho do meio (sem extremos):
·  Meio de existência correto:
·  Esforço correto:
·  Concentração correta:
Use sua intuição e reflita sobre a noção de "correto" para você, mas não para a sua sociedade.
Koan
Se a natureza da sua mente é pensar, qual a natureza da sua essência? Quais são suas ilusões? Você na essência pode se tornar compassivo e amoroso ou já é compassivo e amoroso por natureza?

quinta-feira, 12 de abril de 2012

ENCONTRO DE ALMAS

 

Passei muito tempo sozinho, caminhando, pensando, sem saber o que ia acontecer.

O fato é esse, pensei que a vida a dois não era pra mim, estava conformado, várias pessoas passaram em minha vida, mas enfim não sabia mais o que fazer, não acreditava mais na minha força, na minha capacidade de amar, de dar amor e até mesmo de ser feliz.

Ser feliz?

Não sabia mais se iria merecer isso.

Merecer?

Várias pessoas falam que nós temos que merecer para termos alguma coisa.

Será?

Às vezes as coisas acontecem em nossa vida e nem nos damos conta, não percebemos, muitas são as ocasiões que nos julgamos sem merecimento e mesmo assim elas acontecem, bom, se o mundo é como falam, ou seja, tudo de fato conspira em nosso favor, as questões que surgem no momento em que eu ainda acreditando no amor, ainda querendo amar, ainda querendo ser amado e nada acontecendo, nada mesmo acontecendo, são:

Por quê?

Existem almas gêmeas? Existem de fato as metades corretas da laranja? Existe um chinelo velho para pés cansados?

Não sei, realmente não sei, mas eu continuo a caminhar, acreditando que algum momento mágico, minha alma irá ser tocada por outra, que minha alma será tocada por outra, tudo isso ocorre por causa da minha essência , da minha querência, do meu querer, por causa do amor, nada é tão grande quanto, nada é tão forte quanto.

Foi num momento desses, que a magia aconteceu, já não esperava mais nada da vida no que se relaciona ao sentimento amor, mas aconteceu. No elevador da empresa onde fui, e pior, depois de ter recebido uma resposta negativa no que tange questões profissionais, naquele instante, aquela alma, aquela pessoa , aquela mulher sem me conhecer, olhou-me e perguntou se estava tudo bem? Olhei para ela, ainda com a mente fixada na negativa do trabalho, silenciei, não sabia o que dizer, por coincidência, se é que existe, ela desceu no mesmo andar, no térreo, eu sai na frente, olhei pra ela e sem entender o que me motivou no momento e pedi para que me desculpasse por não ter respondido, pois eu não sabia resposta para aquela pergunta.

Ela olhou para mim, com aquele jeito que só a mulher tem, que não existem palavras para explicar, colocou a cabeça de lado e disse que estava tudo bem , que se alguma coisa aconteceu que não me deixou feliz, é porque mais tarde isso iria me deixar mais triste ainda.

Bom não era o que eu queria escutar, mas ela estava certa, realmente certa , olhei para ela e balancei a cabeça positivamente, como quando não há mais o que falar, o que dizer, pois bem continuamos indo em nosso caminho até a saída do prédio , eu disse:

Adeus e prazer em conhecê-la.
Ela disse: porque adeus?

Eu sorri, é verdade, era uma mania que eu tinha, dizer “adeus” às vezes um até breve é bem melhor, olhei para ela depois de sorrir novamente e disse:

Está bem, até logo então.

Ela perguntou o que eu ia fazer, respondi que voltaria a minha casa, para a eterna busca da felicidade.

Ela perguntou se tinha uma pausa para um café, na verdade era o que eu ia fazer antes de ir para casa.

Aceitei o convite, aquela mulher sem me conhecer, sem saber nada sobre mim, me chamou para um café, nos dias de hoje posso considerar um ato de coragem , já que vivemos num mundo muito machista, onde a mulher não pode tomar atitude, mas enfim, aceitei e fomos, escolhemos uma mesa e ficamos batendo papo, cada um discorrendo sobre sua vida ,é às vezes nos julgamos infelizes, mas quando sabemos das dores, dos problemas dos outros, não percebemos o quanto somos felizes de fato, aquele pequeno café, aquela pequena xícara de café durou quase quatro horas de um bom bate papo, trocamos nossos telefones, fui para casa me sentindo mais leve.

Deveria ligar para ela?

Será que foi apenas gentil comigo por causa do jeito como estava?

Não sabia, mesmo assim dois dias se passaram e eu não tive coragem de ligar, mas ela, bem ela me surpreendeu de novo, ela ligou, perguntando como eu estava e se aceitava mais um café, sorri, é claro que eu sorri! Eu aceitei, ela não levou em conta que eu estava naquele momento sem trabalho e numa condição financeira desfavorável, ela queria apenas me ver, tomar um café.

Encontramos-nos, mais uma vez uma xicara de café levou quase quatro horas, pedi desculpa a ela pelo fato de não ter ligado, não sabia se deveria, fui verdadeiro, não sabia se estava com pena de mim.

Ela disse que nenhum ser humano é digno de pena, disse que todos nós temos problemas e cabe a cada um de nós enfrentarmos da melhor maneira que pudermos .

Mais uma vez em silencio balancei a cabeça positivamente, deixando claro que ela tinha razão, nossos encontros para a xícara de café tornaram-se cada vez mais comuns, ao lado dela me sentia em paz, feliz, esquecia por alguns instantes meus problemas, que de fato com o tempo percebia que não eram tão grandes assim, aquela mulher era linda, digna e me fazia um bem enorme, voltei a acreditar na força do amor, do amor verdadeiro.

Saíamos muito, mas sempre como amigos, muitas vezes pensei estar confundindo a situação, se ela era apenas minha amiga, se eu era apenas o amigo, não sabia mais, fiquei amigo da família, amigo dos amigos, mas de verdade minha cabeça estava atordoada, meu coração clamava por uma resposta, o que estava acontecendo comigo? Será que era mais uma ilusão da minha parte, será que aquela mulher que encontrei num simples elevador , seria a mulher pra mim? E eu seria o homem para ela? Só o tempo, não tem jeito, só tempo iria dizer, o fato é que ele, o tempo, respondeu.

Nos apaixonamos, mas pra variar, quem sempre surpreende e surpreendia era ela, a declaração dela foi simples e direta, olhou nos meus olhos e simplesmente me beijou, aquele seria o melhor beijo da minha vida até então, como vários amantes dizem, vária pessoas apaixonadas dizem, creio que eu também teria permissão para dizer que poderia morrer naquele momento que morreria feliz , muito feliz, esperei por aquele beijo por muito tempo.

Continuamos nosso relacionamento, fortalecemos nossos laços, e nossas almas cada vez mais entravam em sintonia, entendendo que cada uma pertencia à outra , que na verdade, não eram mais duas almas, mas apenas uma, estávamos num uníssono, naquele exato instante acreditei em amor de alma, valeu a pena não ter desistido, valeu a pena não ter desistido.

Hoje formamos uma família, com filhos, frutos do mais lindo e belo amor, e toda noite quando vou dormir, olho para ela, e até hoje ela não entende o motivo.

Digo sempre que valeu a pena acreditar, minha alma está em paz. E faço questão de todo dia ao amanhecer fazer o café.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

PEDIDO DE CASAMENTO


Passei o dia inteiro pensando em como seria, como iria proceder, como eu estaria, seria o momento certo?
A mente sozinha divagava, eram inúmeras as sensações, as razões para pedir, emoções envolvidas, será que o lugar que escolhi era o correto, o dia, a hora, a maturidade de nossas almas?
 Eu seria a pessoa certa para ela, afinal ela é tudo pra mim, ela merece tudo, seria que eu poderia suprir a necessidade de sua alma infinitamente bela?
Vivemos tantas coisas juntos, choramos, sorrimos, discutíamos algumas vezes, mas o amor sempre foi maior, a razão principal de passarmos por tantos obstáculos, que não foram poucos...
A todo instante pensávamos sobre o futuro, mas o futuro seria construído dia-a-dia, queria e quero que ela faça parte desse futuro, pois sem ela não haveria futuro para mim, de fato não haveria nada, nada seria e hoje serenamente nada sou.
As horas estavam passando, o momento cada vez mais se aproximava, nunca percebi que o tempo passava tão rápido, horas pareciam minutos, o Sol já se preparava pra partir, ah o Sol, quantos foram os momentos de despertar para um novo dia e ela lá ao meu lado, ela foi o Sol, ela fazia e faz meu dia ser iluminado, o brilho que de meu rosto surgia nada mais era que o reflexo de sua luz em mim, como eu a desejei, como eu a desejo. 
Diversas vezes ficávamos na praia abraços sob o rochedo vendo o Astro-rei descansar, o silêncio daquele momento era mágico, nossas mãos entrelaçadas, nossas almas em uníssono contemplavam a magia da natureza, que tantos corações embalam, tantos poetas conquistam, tantas inspirações florescem...
Quando temos a alma tocada de forma delicada pelo amor nos sentimos cada vez mais fortes, mais importantes, mais eternos.
Ao teu lado me sentia pleno, íntegro, havia algo em mim que inexplicavelmente só ocorria quando estava com ela, minha boca secava, meu coração parecia explodir, respirar era cada vez mais difícil, mas quando ela me abraça... , tudo volta ao normal, sentir sua respiração, sua pele junto a minha, seu toque, seu perfume, não sei explicar, acredito que algumas coisas não tem explicação mesmo, agora eu entendo o por que.
Quanto ao olhar, quase choro só de lembrar, seus olhos são como o farol em meio à neblina em mar aberto, ou seja, o conforto e a segurança que o comandante de um navio precisa para seguir sua rota em segurança, a luz que dá certeza do caminho certo, a luz que transforam medo em segurança, ódio em amor, tristeza em alegria. Seus olhos, seu olhar...
Viajei muitas vezes para lugares distantes, mas meu pensamento em momento algum me acompanhava, ele ficava com meu coração, conectado a ela, meu coração não viajava, ele ficava com ela, sempre foi assim. Agora eu entendo o significado da palavra abraço, pois era o que eu buscava quando chegava das viagens, era o abraço dela, como pude viver tanto tempo sem saber isso, essa sensação que até então eu não conhecia.
As nossas brigas sempre foram engraçadas, sim nós brigávamos algumas vezes, que casal não tem divergências, nós temos as nossas, os motivos eram os mais banais possíveis, lembro-me de uma que só reforça o meu querer por ela, a minha vontade de envelhecer ao lado dela, tudo por causa de um chocolate, ela estava de dieta, mania feminina, mas eu sabia que ela gostava de chocolate recheado de framboesa, ora eu a presentei então, se eu soubesse o que iria acontecer teria comido a caixa sozinho – risos - , ela ficou brava, que eu não colaborava com a dieta dela e tudo mais, que não ligava pra ela, para o esforço dela em se manter “em forma” , de fato eu nunca liguei pra isso, admito, eu a amava plenamente, não era só corpo, era e é alma, enfim, ela falou muitas coisas naquele dia e eu imbecilmente respondi com impropérios , errei é claro, fui embora, mas havia esquecido a caixa de chocolate lá em sua casa.
No dia seguinte, estava bravo ainda e nem sequer liguei pra ela, contato algum durante todo dia, mas a noite fui surpreendido, voltava pra casa e quando cheguei a escadaria de meu prédio, lá estava ela segurando a caixa de chocolate, pensei comigo naquele instante “ ... lá vem bomba...”, ela simplesmente abriu a caixa na minha frente, faltava um, e no espaço um bilhete com meu nome, instintivamente peguei e li o bilhete, ele dizia: “ Como posso aceitar esse chocolate se ele só me alimenta o corpo, e você me alimenta o coração, quero você junto com este chocolate, desculpa estava nervosa e com fome, você aceita minhas desculpas, quero acabar logo com essa caixa, mas junto com você”,  olhei pra ela e sem dizer nada peguei um chocolate e comecei a comer, ela me abraçou, me beijou e lá na escadaria não havia mais espaço para brigas bobas, nos amamos aquela noite, foi um dos melhores momentos que passamos até então..., detalhe comemos os chocolates ,é claro.
Naquele instante percebi o quão especial era aquela alma, e aprendi também a nunca mais oferecer chocolate quando ela está de dieta.
Lembranças, recordações, tudo com ela era mais intenso, mais sublime, mais vivo.
Acreditava finalmente ter chegado o momento de levar nossa relação mais adiante, um passo mais forte, mais decisivo, já estávamos juntos há quase dois anos e nos conhecíamos há mais de dez anos, já sabíamos bem o que queríamos, eu queria ela, estar com ela, viver com ela, envelhecer com ela, crescer mais e mais ao lado dela.
O Sol já havia partido, a noite estava linda, estrelada, penso que era para combinar com minha amada, ela era a principal estrela da noite, quantas noites passamos juntos nos amando, nos abraçando, juntos apenas no silêncio a espera de um novo alvorecer, não posso negar, todos os momentos com ela foram e são diferentes, especiais, inesquecíveis.
O local para o momento que meu coração clamava era o jardim onde selamos o nosso relacionamento com o primeiro beijo, em meio às rosas que ela tanto ama e que eu aprendi a admirar mais e mais. Cheguei com uma hora de antecedência, não podia atrasar ou deixa-la esperando, sem contar que estava nervoso, ansioso, minhas mãos suavam e meu corpo tremia.
O tempo rapidamente dizia que o momento tão esperado estava prestes a chegar...
Ao longe a vi, meu Deus, como ela estava linda, seus olhos brilhavam como a luz das estrelas, não conseguia compreender como ela conseguia isto, cada dia estava mais linda, mais radiante, mais bela... , seu sorriso capaz de encerrar uma guerra sem fim, ele me deixava atordoado, com aquele sorriso ela conseguia tudo, eu poderia morrer, pois só o fato de tê-la ali naquele instante comigo já bastava, mas sabia que o motivo daquele encontro era outro, mais importante, fui ao encontro dela, nos abraçamos, nos beijamos, não queria que aquele momento terminasse, ela sabia que eu estava estranho, ela me conhecia melhor que eu mesmo.
Caminhamos em meio as rosas, eu havia preparado um buquê para ela, onde estavam também as alianças, o casal dono do jardim, já nos conhecia, eles me ajudaram para escolher as rosas mais lindas e o local certo para deixar o buquê, de mãos dadas fomos andando em direção ao local, conversamos sobre o nosso dia, coisas normais até então.
Chegamos ao local desejado por mim, ela viu as flores, seus olhos brilharam intensamente, tornando aquela noite mais mágica, peguei o buquê e ofereci a ela, ela pegou e reparou na caixa das alianças. Ela abriu a caixa e no mesmo instante eu ajoelhei e antes que ela dissesse qualquer coisa eu comecei a falar: “ Eu demorei  muito pra perceber que existem anjos ao nosso redor, anjos que nos fazem crescer e perceber a importância do amor, você pra mim é esse anjo, quero estar ao teu lado em todos os momentos, não posso te prometer que todos os momentos serão de felicidade, que não teremos problemas, que não teremos dores ou sofrimentos, mas posso te prometer que quando estes momentos chegarem eu estarei ao teu lado, segurando a tua mão, vivendo com você, te amando e amparando, sendo o melhor pra você a todo instante, não imagino um futuro pra mim sem você, quero ser mais que seu namorado, mais que um amigo, quero ser aquele que estará ao teu lado quando precisar,  quero envelhecer com você, quero curtir cada cabelo branco que com o tempo surgir , aquele que te levará pra cama quando você adormecer no sofá, quero sorrir e chorar ao teu lado, quero ser tudo que você precisar, eu te amo tanto, tanto que nunca pensei ser capaz de amar assim, você é tudo pra mim... , quer casar comigo? ”
Ela ficou olhando pra mim, daquele jeito que só ela sabe, um silêncio fez-se presente, silêncio este que de fato durou segundos, mas pareciam séculos, então do seu jeito sereno e doce de ser, pegou minhas mãos e me levantou, com os olhos estonteantes e brilhando como só eles conseguiam, respondeu:

“O que eu mais quero, o que eu sempre quis foi ter alguém para compartilhar minha vida, alguém para me amar em todos os momentos, eu quero que essa pessoa seja você, por que eu te amo como nunca amei outro alguém”.
Ela me abraçou como nunca havia feito antes, aquele momento nunca seria esquecido, eu também chorei negar isso seria uma tremenda bobagem, como eu a amava, amaria para todo sempre.
Nos beijamos intensamente daquele jeito que só aqueles que já viveram tal momento entenderiam, aquele beijo foi mais que um “sim”, aquele beijo representava um novo começo em nossas vidas, em minha vida, me senti agraciado por ter a presença de uma pessoas tão especial  em minha vida.
Eu te amo, repeti essa frase inúmeras vezes, repetiria quantas mais fossem necessárias...
A noite não terminou ali, mas lembro que a frase que encerrou aquele dia e começou o outro foi a mesma...
EU TE AMO .