sexta-feira, 6 de julho de 2012

TEM CERTAS COISAS QUE EU NÃO SEI DIZER...

Nossas mãos estavam entrelaçadas, sentíamos o calor um do outro, sentíamos o amor um do outro, andávamos apaixonadamente pelo mundo, mas o que era esse mundo?
Meu mundo era qualquer lugar, bastava estar com ela, ver seu sorriso, tocar sua pele, meu mundo era ela, é ela, quando se ama como eu a amava, o mundo passa a ser a pessoa amada.
O seu sorriso era tudo que precisava para motivar-me a seguir em frente com os meus sonhos, sonhos esses que só seriam inteiros com a presença dela, pois até ali ela era o mais perfeito sonho se transformando em realidade.
Esperei um longo tempo até poder encontrá-la, mas valeu a espera, poder abraçá-la, sentir o perfume de seu cabelo, o toque suave de sua pele, certas coisas que você só pode dizer ao "pé do ouvido", ela me fazia dizer.
Era chegado o momento mais importante de nossas vidas, aprendermos a aceitar que não dependemos mais de nós, mas sim da outra "metade", a metade que nos completa, a metade que tem a mais clara certeza de nos conhecer mais intimamente, o momento de doarmos aquilo que de mais precioso temos em nossa alma, o AMOR.
Eu não sabia mais como fazer, como proceder, tudo era novo pra mim, uma nova sensação, uma nova energia, um novo AMOR, há muito esperado e desejado, mas neste caso definitivo, um AMOR maduro, um sentimento sincero, íntegro, completo...
Só quem ama entenderia, um AMOR que mesmo dizendo não, você na verdade diz sim, mesmo que anoiteça, você sabe que o amanhecer valerá a pena, mesmo que chore saberá que essas lágrimas serão recompensadas com o beijo da alegria, mesmo que o coração adoeça, surge um amor que cura que acalenta...
Um AMOR que não permite sentimentos de ódio, de dúvidas, de tristezas, um AMOR  que por si só se mantem e se sustenta.
TEM CERTAS COISAS QUE EU NÃO SEI DIZER




Nossas mãos entrelaçadas, acompanhavam o sincronismo de nossos corpos entregues ao mais puro momento de doação, de corpo e alma, o mais puro momento íntimo de AMOR, a energia, a força, as emoções, tudo era mágico, não eram necessárias palavras, nossos olhos se comunicavam em uníssono, nossos corpos sabiam bem o que fazer e como, não dava para explicar...
Era necessário apenas viver aquele momento...
Nossos olhos estavam brilhando, nossos corpos transpiravam gotas de AMOR, e nossas mãos sempre entrelaçadas, elas sensíveis e tão importantes em nossa história, começamos a nos comunicar , depois nos tocar, abraçar e sentir, com a magia da sensibilidade de nossas mãos...
Naquele momento não éramos apenas pessoas maduras, mas jovens desfrutando a liberdade que só o AMOR pode proporcionar, estávamos livres de todo pudor, de todo preconceito, ali apenas dois corpos se amando, se doando, se libertando, ali, exatamente ao luar, nada mais importava, apenas o nosso AMOR...
Eu a amei intensamente e sentia o mesmo, não tinha como ser diferente...
Todos os momentos assim vividos até hoje são mágicos, inexplicáveis, inenarráveis...
Tudo ao mesmo instante, todas as sensações, todas as emoções, todo AMOR, sempre ele o AMOR...
TEM CERTAS COISAS QUE EU NÃO SEI DIZER... E DIGO